Saiba qual o conflito que mata mais de 10 vezes que a guerra da Síria

Ele atinge 425 milhões de pessoas em todo o mundo e tem a previsão de deixar um rastro de mortes

Luciana Oncken
Publicado em 26/03/2019

No Brasil, atinge 12,5 milhões de pessoas. Esse conflito custou, em 2015, aos cofres públicos, R$ 190 bilhões de reais, superlota hospitais e os sistemas de saúde, encarecendo-os cada vez mais. Imagine que apesar do seu poder de destruição e do alto valor investido nessa guerra, ninguém se importe muito em barrá-la, mesmo sabendo que existem mecanismos? E imagine que você poderia ajudar a por fim a este conflito. Ficaria de braços cruzados?

Este é um conflito silencioso, é uma guerra que ocorre dentro do organismo, o minando por dentro. Quando as pessoas se dão conta, já pode ser tarde para escapar sem sequelas.

Não faz ideia de que conflito seja esse? Não ouviu muito a respeito nos jornais, ou nas mídias sociais? O nome desse inimigo silencioso é diabetes!

As pessoas se importam com câncer, se importam com tantas outras doenças, e devem continuar se importando. São causas importantes. Mas e o diabetes? Por que não se importam com diabetes, que é quarta causa de morte no mundo? Quarta causa, mas as anteriores podem estar relacionadas ao diabetes: doenças cardiovasculares, por exemplo… e outras que estão à frente.

Eu não tenho diabetes tipo 2, que pode ser prevenido, sou MODY, não teria nunca como prevenir, porque é uma alteração cromossômica. Mas eu me importo com o que vem ocorrendo na saúde, para onde estamos caminhando, com o possível colapso do sistema, com a falta de produtividade de pessoas jovens, com a queda de qualidade de vida de pessoas idosas, e com todas as mortes em decorrência da doença.

Leia mais:   Parceria entre indústria e o setor de drogarias pode beneficiar o paciente?

As pessoas não se importam como deveriam, porque vêm a pessoa com diabetes tipo 2 como aquela pessoa que tem a doença “porque escolheu ter, porque é descontrolado, porque não se cuidou…”, assim como vêm a pessoa com Obesidade. E são doenças tão mais complexas, com tantos fatores de risco.

Os maiores gastos do diabetes vêm com hospitalizações devido à complicações. Em média, uma pessoa demora 7 anos para ser diagnosticada, tempo suficiente para as complicações se instalarem.

Uma pessoa a cada 6 segundos morre em decorrência do diabetes no mundo, e eu me importo! E sim, é possível mudar essa realidade. Investindo em diagnóstico precoce, e intervindo na fase do pré-diabetes, com mudança no estilo de vida, incluindo pequenas doses de atividade física por dia, somando 150 min por semana, e tendo uma alimentação equilibrada. Mas a população precisa de educação, mas nós não precisamos esperar só do governo, sem fazer a nossa parte. A população precisa de agentes de mudança, pessoas interessadas em orientar quem tem menos instrução.

Meu sonho é ver cada um de vocês tomando para si essa missão. Pode parecer exagero falar em salvar o mundo, mas é isso. Precisamos salvar o mundo do diabetes. Essa é nossa guerra! Se a perdermos, pode ser que ela destrua nosso futuro.

Compartilhe...